Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Memória: LA CONDAMINE (1701-1774)



Explorador e pesquisador francês, e o primeiro  europeu a descrever o fenômeno da Pororoca no rio Araguary, CHARLES-MARIE DE LA CONDAMINE nasceu em Paris em janeiro de 1701 e faleceu em fevereiro de 1774. Seu nome está ligado à história e geografia amazônica, pela viagem feita em 1743, descendo o rio Amazonas “desde o lugar em que começa a ser navegável até a sua embocadura”. Aos 34 anos de idade participou, destacadamente, de uma das expedições enviadas ao Peru, destinadas a solucionar as controvérsias entre Cassinianos e Nesotonians, a respeito do achatamento do elipsóide terrestre.


Após os trabalhos da expedição, resolveu regressar à Europa descendo o Amazonas, o que fez, seguindo o caminho então mais difícil e desconhecido. O relato da viagem foi feita em três publicações, das quais a que mais de perto interessava à Amazônia é a “Relation abréjée d'un voyage dans l'interieur de l'Amerique Méridionale, depuis la côte de le mer du Sud, jusqu'aux côtes du Brésil & e de la Guiane, em descendant la revière des Amazones...”, traduzido somente em 1944 para  a lingua portuguesa, com o titulo de Viagem na América Meridional, descendo o Rio das Amazonas” (Biblioteca Brasileira de Cultura). Essa edição continha três apêndices. La Condamine, além de remeter à França uma grande variedade de plantas produtoras de quinino, uma das quais é, por isso, a Chiuchona of officinalis Condeminea, tornou conhecida na Europa a borracha, sob o nome de caucho e resina elástica, demonstrando alumas de suas utilidades. Ele morreu com 73 anos, em 1774.


Nenhum comentário:

Postar um comentário