Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Memória: REINALDO DAMASCENO (1916-1976)



Biólogo e entomologista paraense, que morou no Amapá desde 1961, REINALDO MAURICIO GOLBERT DAMASCENO nasceu em 24 de julho de 1916 em Igarapé Açu (Pará). Faleceu em Macapá, em 1976. Foi casado com Natalícia Menezes Damasceno, com quem teve duas filhas. Graduou-se em Biologia, iniciado em Belém e concluído no Rio de Janeiro, e em Entomologia pela Fundação Rockfeller, em São Paulo. Em 1942 é nomeado para o cargo de Assistente Técnico em Entomologia do Instituto de Patologia Experimental Evandro Chagas, em Belém. Em 1950 é nomeado diretor do então Serviço Nacional da Malária (SUCAM), do Pará
.
De 1961 a 1967 foi diretor da SUCAM no ex Território Federal do Amapá, onde continuou seu sonho de pesquisa dos insetos e de educador, lecionando biologia e higiene, de 1968 a 1975, em vários estabelecimentos, entre os quais o Colegio Amapaense e o Instituto de Educação do Território do Amapá (IETA). Por sua contribuição para com a educação do então Território do Amapá, após sua morte, foi homenageado emprestando seu nome a uma escola da rede estadual de ensino. Paralelamente, ele reunia material cientifico, principalmente sobre malária, filariose e leishmaniose. Conhecedor da importância da Amazônia como acerto inigualável da biodiversidade, contatou com o governador Ivanhoé Martins, expondo a ideia de criar um museu de História Natural do Amapá no qual foi integralmente atendido e concretizado, com a construção e inauguração do Museu de História Natural Angelo Moreira da Costa Lima, em 6 de janeiro de 1974, sendo nomeado seu primeiro diretor até 14 de agosto de 1976. Neste período implantou um fecundo trabalho de estruturação técnica do referido museu e deu continuidade à pesquisa entomológica até seu falecimento, no Hospital São Camilo, em Macapá, aos 60 anos.[1]



[1] IEPA 2006, revista, 2006, Macapá, edição n 59. Pág. 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário