Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Nazistas no Amapá


1935 - Grupo alemão de pesquisas na região do Jari, com a bandeira nazista, sob o comando de Joseph Grener

A presença nazista no Amapá foi registrada principalmente no rio Jari, através da obra de Cristóvão Lins (Jarí, 70 anos de historia).  Próximo à cachoeira de Santo Antonio, segundo Lins, existe uma sepultura marcada com suástica nazista.
De 1935 a 1937, quatro alemães fizeram estudos no rio Jarí, montando acampamento de base perto da cachoeira de Macaquara, nas proximidades de uma maloca de índios Aparai.
Alemães expedicionários como Oto, Kalis, Joseph Grenner e Ricardo são pessoas que, representando a Alemanha nazista, fizeram pesquisas no Jarí nos dois primeiros anos da segunda metade da década de 30. Com a morte de um deles (Joseph Grener) os trabalhos científicos foram encerrados. Não se sabe, contudo, se o falecimento foi a causa do fim dos estudos ou se os três restantes deram-se por satisfeitos com as informações colhidas.
Joseph Grenner foi capataz da expedição. Devia ter 30 anos de idade quando em 1935 chegou ao Jarí. Falava bem o português. Morreu repentinamente de febre, quando fora buscar mercadorias, em lombo de burro, para o local onde estava seu pequeno barco.
O chefe dos pesquisadores alemães parecia ser Oto, provavelmente geólogo. Teve uma filha com uma índia Aparai, de nome Macarrani. Cristóvão Lins relata no livro que a filha de Oto e a indígena era chamada Cesse: “Era branca e tinha os olhos azuis. O pessoal chamava-a de ‘alemoa’, ela dizia que era Aparai. Mais tarde Cesse, que diziam ser muito bonita, casou com um índio da tribo”.
A obra de Lins diz também que quando Grener faleceu os seus companheiros de expedição estavam muito longe de Cachoeira. E então o pessoal do local fez o sepultamento, mandando em seguida avisar Oto, Ricardo e Kalis.
Ao tomarem conhecimento das circunstâncias do ocorrido, os três alemães foram ao cemitério ver o local onde Grener tinha sido enterrado. De Cachoeira embarcaram para Belém. Dois meses depois Oto e outro membro retomaram a Santo Antonio de  Cachoeira com uma cruz em acapu de três metros de altura.
Na madeira da cruz foram gravadas letras em idioma alemão e suástica nazista, cuja tradução em português é a seguinte: “Joseph Grener faleceu aqui em 02.01.36 de morte de febre em serviço de exploração para Alemanha. Expedição Alemanha Amazonas Jarí. 1935-1937.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário